cotidiano

Em repescagem, Indaiatuba tem abstenção de 60,8% em vacinação contra a covid

Cidade fez repescagem no sábado (17) para vacinar moradores de 45 anos ou mais, mas muitos não compareceram

| ACidadeON Campinas -

Morador de Indaiatuba aguarda vacinação contra o coronavírus (Foto: Pedro Torres/EPTV Campinas) 

A cidade de Indaiatuba registrou um alto índice de abstenção na vacinação contra a covid-19 no último sábado (17), durante uma repescagem para vacinar todos os moradores com 45 anos ou mais. Segundo os dados da Administração divulgados hoje (19), foram convocadas 4.627 pessoas, sendo que 2.814 pessoas não compareceram.

Com isso, o índice de abstenção foi de 60,8%. A imunização na cidade é feita no Centro Esportivo do Trabalhador e na repescagem foram feitas 1.813 aplicações.

Além dos moradores com mais de 45 anos, entre os convocados estavam também gestantes e puérperas, que poderiam receber a 1ª e 2ª doses da vacina contra o novo coronavírus. Ainda foram registradas, pelo departamento de informática, 30 recusas ao imunizante que estava sendo aplicado em razão da marca.

Para Graziela Garcia, secretária municipal de Saúde de Indaiatuba, é de extrema importância que as pessoas fiquem atentas ao cadastro no minha vacina e que não escolham a marca do imunizante.   

"Precisamos nos atentar ao e-mail informado em nossa plataforma. Às vezes, a convocação pode ter caído na caixa de spam ou no lixo eletrônico, mas com toda certeza a atualização estará na linha do tempo do minha vacina no site da prefeitura", disse. 

LEIA TAMBÉM 
Viracopos, em Campinas, receberá 13 voos com vacinas da Pfizer até 1º de agosto 
Saúde acredita que variante delta da covid já está circulando em Campinas 
Campinas amplia vacinação contra a covid para maiores de 30 anos
 

Vacinação contra a covid-19 em Indaiatuba (Foto: Pedro Torres/EPTV Campinas)

RECUSA

Em relação às pessoas que se recusaram a tomar a vacina por conta da marca no sábado, a Prefeitura de Indaiatuba informou que os moradores devem receber uma convocação para o mesmo imunizante, uma vez que o lote do Ministério da Saúde é destinado ao determinado público.

"O vírus não escolhe ninguém, não escolhe quem vai pra hospital, não escolhe comorbidade e por isso não é correto querer escolher a vacina, uma vez que todas elas, que estamos aplicando em Indaiatuba, tem a liberação e autorização da Anvisa, (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), órgão máximo regulador sobre o assunto de vacinas", afirmou a responsável pela pasta.


Mais notícias


Publicidade